Entenda o crescimento do delivery na pandemia

6 minutos para ler

Durante a pandemia de Covid-19, os estabelecimentos tiveram que se reinventar para se manter e continuar os negócios. As entregas foram uma saída essencial nesse processo: o crescimento do delivery na pandemia foi muito relevante e contribuiu para manter as vendas, reduzindo os prejuízos no setor de alimentação.

Neste conteúdo especial que preparamos, vamos mostrar algumas informações sobre o crescimento das entregas nos restaurantes. Continue acompanhando e entenda!

Qual foi o crescimento do delivery na pandemia de coronavírus?

Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Franchising em parceria com a consultoria Galunion em 2020, no início da pandemia, o faturamento de delivery era de 18% e saltou para 36%. O estudo foi realizado com 85 marcas que contam com 15 mil unidades espalhadas pelo território nacional.

Diversos fatores contribuem para esse cenário, como os novos canais de venda, a implementação de dark kitchens e a digitalização da interação com o cliente. Além disso, com a maior adesão ao digital e aos sistemas de gestão por 60% das entrevistadas, houve a possibilidade de inovação e ajustes em cardápios devido à maior capacidade de análise de preferências do público com o digital.

De acordo com a mesma pesquisa, houve um aumento de 42% nos serviços próprios e de parceiros logísticos, como os aplicativos de entrega de comida. Já o serviço próprio de entrega corresponde a 23% do faturamento, uma fatia menor do que a de apps de delivery, mas que também é muito relevante.

A venda de comida para levar passou por um crescimento de 56%, segundo a mesma fonte. Além disso, podemos exemplificar o aumento da digitalização do relacionamento com o WhatsApp. As vendas por esse canal, que giravam em torno de 26%, foram para 60% em 2020. Vale destacar ainda as novas modalidades de expansão, com a adesão de 45% em restaurantes no modelo dark kitchen, segundo a pesquisa.

Como ficou o mercado para os aplicativos de delivery na pandemia?

Os aplicativos de entrega de comida também passaram por mudanças na procura com a pandemia. Segundo pesquisa da consultoria Mobills, uma empresa de gestão e finanças pessoais, no início da quarentena (em março) houve queda de 16,98% nas vendas. A análise foi realizada com 160 mil usuários do aplicativo Mobills.

O cenário desfavorável nesse período pode ser justificado pela incerteza e pelo medo em relação aos tempos de quarentena. De acordo com a pesquisa, com o passar dos meses, o consumo em delivery passou a aumentar de forma gradual, alcançando patamares maiores à medida que os custos com lazer e transporte diminuíram.

Nesse contexto, o ticket médio dos aplicativos de delivery passou por mudanças. Na Rappi, por exemplo, o ticket médio em maio alcançou um aumento de 92,4% em relação a janeiro — lembrando que o app engloba entrega também de itens de farmácia e supermercado. Já o iFood, no mesmo período, teve uma elevação de 22,3%.

O que motivou o crescimento do delivery na pandemia?

Diversas razões contribuíram para os pedidos de entrega aumentarem nesse período. Os custos menores com transporte e lazer incentivam a reserva de uma parcela maior do orçamento pessoal para o delivery. Além disso, com a monotonia do isolamento, muitas pessoas sentem vontade de comer pratos diferentes e quebrar a rotina.

Quem já tinha o hábito de comer fora e um cotidiano atarefado demais para cozinhar todos os dias também aderiu ao delivery com o fechamento do comércio. Mesmo agora, com a tendência de reabertura, há quem prefira evitar comer fora, considerando ser mais seguro pedir a refeição e se alimentar em casa. Assim, podemos dizer que o delivery oferece conforto, comodidade e segurança em tempos de incerteza.

Por que as dark kitchens ganharam destaque com a pandemia?

De acordo com o levantamento feito pela revista Bares e Restaurantes em 2020, as empresas que começaram a operar em dark kitchens tiveram aumento de até 50% no faturamento. O começo dessa modalidade de negócios no Brasil ganhou destaque com a quarentena, já que a dark kitchen (ou cozinha fantasma) é um modelo de estabelecimento de alimentação que opera exclusivamente para delivery.

Trata-se de uma cozinha comercial mais enxuta, sem salão, com foco apenas em entregas. O resultado disso é a maior eficiência operacional, com custo reduzido e a perspectiva de aumentar o lucro diante da tendência de crescimento das entregas.

Como a Kitchen Central atuou nesse sentido?

A Kitchen Central fornece cozinhas comerciais otimizadas e preparadas exclusivamente para operações de delivery. Nossas dark kitchens são excelentes espaços para o preparo de alimentos que serão entregues, com uma base operacional sólida para a sua equipe trabalhar de forma eficiente.

Auxiliamos o seu negócio a expandir de maneira descomplicada e rápida por meio da disponibilização de espaços adequados e certificados. Além disso, contamos com um sistema de gestão para ajudar nossos clientes no gerenciamento dos processos do restaurante. Dessa forma, contribuímos com o crescimento do delivery por meio da oferta de locais funcionais para o preparo de refeições para entrega.

Como vimos, com a disseminação do coronavírus pelo mundo, foi preciso realizar uma verdadeira modificação no estilo de vida e respeitar o isolamento social. Nesse contexto, as entregas de comida passaram por uma relativa queda no início do isolamento, mas depois tiveram uma grande expansão.

O crescimento do delivery na pandemia é uma verdadeira oportunidade de manter os negócios e garantir a operação nesse momento de incertezas. Trata-se de uma alternativa que veio para ficar, já que estamos diante do novo normal. Nesse contexto, as dark kitchens são a modalidade ideal para expandir com investimento inicial menor do que o de um restaurante convencional — e a Kitchen Central é um ótima opção para você começar a operar em uma cozinha comercial otimizada para delivery.

Gostou de aprender sobre o crescimento do delivery na pandemia? Aproveite e entre em contato com a Kitchen Central! 

Posts relacionados

Deixe um comentário