É melhor ter um delivery ou restaurante tradicional?

4 minutos para ler

Em algum momento, é bem provável que você já tenha se perguntado se vale mais a pena ter um delivery ou restaurante tradicional.

O avanço da tecnologia tem viabilizado vários meios para que as pessoas tenham cada vez mais praticidade e conforto. Exemplo disso são os aplicativos de delivery, que se tornaram quase uma obrigação para os estabelecimentos que comercializam alimentos.

Muitos restaurantes tradicionais implementaram o delivery como uma receita incremental e hoje percebem o faturamento deste canal se igualando ou, até mesmo, ultrapassando o salão.

Os aplicativos oferecem mais facilidade para que os consumidores façam pedidos de comida em suas casas ou locais de trabalho. Porém, nesse contexto, a cozinha fica sobrecarregada e pode impactar a experiência do cliente na loja, e ai pode surgir a dúvida sobre o que vale mais a pena: aumentar o delivery ou priorizar o salão?

Neste post, fizemos uma comparação entre ter um serviço de entregas ou um restaurante com atendimento ao público, no intuito de ajudá-lo a decidir o que se encaixa melhor em seu modelo de negócios. Continue a leitura e confira!

Quais as principais características dos serviços de delivery e dos restaurantes tradicionais?

No caso de um restaurante físico, é preciso ter um salão equipado, em um ponto nobre que te dê visibilidade e funcionário para atendimento direto ao cliente. O espaço deve ser atrativo, bonito, confortável e limpo.

Para os pedidos fluírem com mais rapidez, os funcionários têm que trabalhar com muita atenção, cordialidade e organização. Os garçons e os serviços da cozinha devem estar bem alinhados, a fim de evitar atrasos, desperdícios e erros. O processo acaba ficando mais oneroso e difícil de se administrar.

Por sua vez, a vantagem de um delivery se deve especialmente ao fato de os investimentos requisitados para esse tipo de operação serem menores do que os necessários para o atendimento no salão de um restaurante.

Dessa forma, um negócio que foca seu atendimento no delivery não precisa se preocupar tanto com o ponto do estabelecimento ou com espaço para estacionamento, por exemplo. Além disso, a operação que envolve a entrega de comida requer menos gastos com mão de obra. Alguns dos principais benefícios são:

  • baixo custo de adesão;
  • alcance de mais consumidores;
  • aquisição de clientes facilitada etc.

Posso trabalhar com os dois modelos em paralelo?

A boa notícia é que sim, é possível trabalhar com os dois modelos! Caso seja essa a sua opção, entenda como aproveitar os clientes físicos em um salão para alavancar as vendas on-line e ter alta produtividade nas entregas

Divulgue o delivery nas mesas

Não perca a oportunidade de informar ao cliente que seu restaurante também entrega refeições em casa ou no trabalho. Afinal, se a pessoa já consome o seu produto, certamente ela gostará de saber que pode contar com essa comodidade.

Alguns restaurantes pensam que essa divulgação pode esvaziar o salão, mas a verdade é que o hábito delivery esta cada vez mais forte, e o que temos visto até aqui é uma substituição ao ato de cozinhar em casa, não ao de frequentar restaurantes.

Faça promoções para o primeiro pedido

Quando uma empresa oferta benefícios para os clientes experimentarem um novo serviço, a adesão é maior e mais fácil. Por isso, não hesite em oferecer cupons de descontos e promoções para o primeiro pedido.

Tenha operações independentes para delivery e salão

Caso o seu delivery tome grandes proporções, é fundamental separar as operações. Em geral, a sobrecarga da cozinha em horários de pico prejudica a experiência do cliente no salão e em casa, além do mais, a estrutura de custos e planilha financeira variam muito entre os dois modelos de negócio.

Se você gostou deste post e já sabe se é melhor ter um delivery ou restaurante tradicional, compartilhe o conteúdo agora mesmo em suas redes sociais para que os seus contatos também fiquem por dentro do assunto!

Posts relacionados

2 thoughts on “É melhor ter um delivery ou restaurante tradicional?

Deixe um comentário